SÉRIE: #quemévocênoinstagram

Escrito por Carol Aragão  /  26.jan.2017

Oi, gente!

Todo mundo curte instagram aqui?
Vocês ficam stalkeando e babando nas fotos que nem eu?
Vim mostrar pra vocês uma série maravigold da uma artista cheia de talento, ela é a Nath Araújo, uma guria linda e com uma puta criatividade! Sabe esse monte de diva que a gente vê no feed? Pois é, a Nath retratou várias, com uma pitada de humor e muito bom gosto, EU AMEI HAHAHA <3

A GOOD VIBES é aquela miga do Instagram sobre a qual você fica se perguntando se ela a) não trabalha, b) trabalha na praia ou c) trabalha no almoxarifado e aproveita as fotos que tirou numa emenda de feriado na praia durante o ano inteiro, já que o feed dá a impressão de que ela vive num programa do Canal Off. Além das inúmeras fotos de biquíni (normalmente ela tem um corpão ou faz bom uso do Facetune) com legendas de trechos de surf music e/ou frases imperativas positive vibes, no feed você também pode ver pacote de bixcoito globo, pratos saudáveis (lembre-se: tudo pode ser substituído por linhaça. sempre.), poses de yoga, emojis de florzinhas diversas, mandala, tattoo de mandala, graffiti de mandala, camiseta de mandala, we love mandala, a clássica foto de costas com a bunda suja de areia, e ainda ser abençoado toda segunda-feira de manhã com uma frase motivacional. Em resumo: sugiro não ficar stalkeando muito pra não começar a achar que a sua vida tá toda errada, especialmente se você estiver no busão ou no drive thru do mc donald’s.

A TUMBLR GIRL vai muito além do que diz a música do G-Eazy. Aliás, como esse homi pôde fazer uma música dessas sem mencionar o maior ícone da Tumblr Girl, a tattoo choker hit dos anos 90? Porque, apesar de ainda usar fraldas nos anos 90, ela nutre um amor louco e platônico por essa época. Talvez por isso o seu feed tenha tantos frames de filmes com a Winona Ryder, em meio a milhares e milhares e milhares de selfies. Mas o pior é que, apesar de ser especialista em selfies, ela não sai muito do mood cara de inconformada ou de entediada, uma sobrancelha levantada, às vezes olhos revirando, língua pra fora, ou a boca semiaberta e entortada pela mão. Mas nem só de selfie ela vive. Também tem frase em inglês com uns fundo de universo, fotos aleatórias do Drake e muitas horas de Instastories diárias. Com suas sardas, piercing no septo e sobrancelhas que ela trata como órgão vital (parecem ter sido desenhadas por Deus himself), a Tumblr Girl trabalha duro para conquistar os followers de cada dia e sonha em ser patrocinada pra ganhar umas brusinha da Adidas – nóis também.

A Hipster Enigmática foi a primeira da série!

Eu como heavy user dessa rede social me senti no direito e dever de começar a série “Quem é você no Instagram”, que analisa do ponto de vista socrático performático zuerástico alguns dos perfis com os quais somos impactados com maior frequência, seja por meio do feed ou do legítimo ato de stalkear. Claro que é uma grande brinks e eu mesma me identifico com várias HAHAH então espero que vocês se divirtam e não se ofendam 💗 Vamos começar com a HIPSTER ENIGMÁTICA, aquela você queria ⭐️ morta antes de precisar stalkear, pq você nunca sabe direito onde ela tá ou o que ela tá fazendo, já que não coloca marcação em nada, só escreve legenda que ninguém entende, posta frame de filme que ninguém viu, trecho de livro que ninguém leu e é adepta dos emojis que ninguém usa (tipo ➰). As poucas coisas que você consegue concluir é que ela ou alguém próximo tem um gato (tem sempre mais fotos dele do que de seres humanos), gosta de café, frequenta roles UNDERGRAUNDI (é possível saber pelas fotos escuras onde só aparecem silhuetas com graffitis ao fundo + legendas com emojis de drinks 🍸🍷), gosta de tirar o contraste das fotos até ninguém enxergar qq tá conteseno, não tira selfie jamais (o migo fotógrafo que faz os retrato), adora fazer umas foto de prédio e muito provavelmente mora no Copan (eu descobri esses dias que “011” significa “São Paulo” ok então fica a dica).

A BLOGUEIRA é aquela miga que não perde uma: usa vestido de alcinha por cima da camiseta, cordãozinho de couro no percoço, corte long bob com mechas mais conhecido como cabelo da @manugavassi, ray ban round, puma da rihanna, calça pantacourt, chinela da adidas, tênis com plataforma… UFA. Quando você tá começando a entender que o negócio é tendença a bicha já tem 4 cores da peça, já postou dezenove fotos e já tagueou dezessete marcas. Porque não, nem só de mimos vive o homem, mas se o mimos é legal, ele merece um espaço no seu feed milimetricamente organizado. Porque afinal, ela prefere morrer do que postar uma foto que não combine com as outras. E se postar por educação, apaga antes que alguém resolva dar uma olhada no feed completo. “Mas amiga, era aniversário da sua mã…” “ELA TAVA USANDO VERMELHO, MEU FEED SÓ TEM TONS FRIOS AFF”
Importante lembrar que a blogueira pode ou não ter blog e, se for o segundo caso, torna-se conhecida por mais uma daquelas expressões que as pessoas insistem em usar em inglês sendo que não tem necessidade disso tipo “digital influencer”, ou “blogueirinha sem blog” (bem + legal). Apesar das brusinha da adidas, não se deve confundi-la com a Tumblr Girl, cuja vibe é mais blase, enquanto a blogueira tem como papel na Terra ser linda sempre e semear as dica de cada dia no Instagram em meio a fotos maravilhosas (esses dias eu vi uma mina que tirou uma foto linda na CPTM brother, NA CE PE TE EME) e pratos do tea connection – tenho visto bastante coisa do hi pokee por aí esses dias também. Parece bom.

Importante deixar claro que a GRINGA DEUSA não necessariamente é gringa, mas necessariamente é deusa. Se você olhar o Instagram dela e não for mestre na arte de stalkear, vai pensar que ela é de fora, porque ela só se comunica por legenda em inglês ou emojis ✨💜👽👊👊🌈 Muitos emojis. Isso quando não coloca legenda nenhuma e só posta um selfão com uma sobrancelha levantada e nada mais que rende duzentos comentários do tipo LAAAAAAAACREEEE ABAIXA QUE É TIROOOO VIADOOOOOOO
Fato é que ela não tá no Instagram pra brincadeira. Só nas fotos da última semana você encontra ela numa festinha pra qual ninguém te convidou entre a @karolconka e a última modelo revelação do SPFW, num open house no rooftop de um estilista diretor criativo chef fotógrafo bafo (ps: ela só tira foto com quem importa, então se você não reconhecer alguém numa foto dela, se atualize), fazendo pose na frente de uma parede grafitada em Williamsburg, cliques pro lookbook da Nasty Gal, no Coachella, no Burning Man, na pqp, qualquer lugar que você bata o olho e pense PQ EU NAO TO AÍ MEU DEUS?
É o tipo de perfil que você não pode stalkear deitada na cama num domingão à noite zapeando o Netflix, porque ela escolhe bem esse dia pra postar uma foto destruidora de lares. Pode ser que na realidade ela também esteja em casa, fazendo a mesma coisa que você, só esperando o cup noodles esquentar, mas como dito anteriormente: ela não tá no Instagram pra brincadeira.

Tenha ela nascido rica ou tenha ela sido agraciada pela picada do ryka vírus, a gente só tá no Instagram por causa dela: A RHYCA 🌸 Afinal, ainda não inventaram nada mais legal pra gente fazer do que ficar stalkeando pessoas que têm a vida bem diferente da nossa. E apesar dela não sair por aí berrando EU SO RICAAAAAA, sempre dá pra perceber que é por alguns sinais. A começar pelo user que nunca vai ser @nanaths, mas sim @nathchristinetrussardideorleansebraganca ou qualquer outro sobrenome você já tenha visto na capa da revista Forbes. Também precisamos falar das fotos de café da manhã, que ou ela vai no brunch toda semana ou tem alguém que trabalha na casa dela só pra montar a mesa do café pra foto (antes de contratar ela confere se a pessoa já trabalhou na cenografia da novela das 9). E os pratão exótico de jantar? São sempre uns pratos que parecem quando você e seu irmão foram brincar de Masterchef, enrolaram um presunto e jogaram um fio de ketchup por cima pro outro experimentar e meter o pau dizendo que faltou “tompero”. E se você não sabe nem o nome dos prato, imagina onde ficam as Ilhas Xyslokaswj? Eu não sei, mas se ela colocou na localização das férias, é porque existe, e tem umas puta piscina de fundo infinito que rende foto pro #tbt do ano inteiro. E se você ainda tá na dúvida se conhece uma miga assim, fala pra ela que tá rolando uma corrente que precisa postar uma foto da porta de casa pra ter sorte em 2017. Se a dela for aquelas portona de 4 metros de madeira com maçaneta enorme, já sabe… E por fim, pode ter duzentos pratos de masterchef, foto da coleção de chanel, passar as férias na casa da Beyonce, mas se não tiver selfie com o Marcos Proença não é rhyca. Bjs.

Com a quantidade de irmã que tem nessa família, não seria surpreendente encontrar uma perdida por aí, até porque elas existem aos montes nessa rede social dominada pelas Kardashian-Jenner. Porque sim, se você usa o Instagram e não sabe quem é pelo menos a Kim Kardashian, eu não sei o que você tá fazendo aqui. Ouso dizer que você nem é bem vindo. Volta pro Facebook e vai compartilhar notícia do Catraca Livre.
Pois bem, pra saber se você conhece uma KARDASHIAN PERDIDA, é fácil: se aparecer no seu feed uma selfie com carão, legenda minimalista (pode ser só uma palavra ou uns emojis ❤️✨) e maquiagem impecável com contorno e batom nude, pode ter certeza que o loading Kardashian chegou nos 50%. Se o batom nude estiver pra fora da boca, 60%. Se estiver usando roupa preta, 70%. Se a roupa preta for embalada a vácuo, 130%. E se a roupa preta embalada a vácuo for um body/maiô hiper cavado, temos praticamente uma Kardashian legítima e eu sugiro tomar alguma providência logo pra garantir a parte na herança. Com os zeros a mais na conta, só vai ficar faltando vazar um nude e arrumar um marido rapper.

Essa aqui a mão vai até marcar de vontade de tremer, porque o que tem de HIPPIE DA FARM nesse Instagram do meu brasiu… E falando em brasiu, acho que a palavra resumidora desse perfil é BRASILIDADES. Explico: a cada 10 fotos, em 8 ela tá com o cabelo bagunçado e curtinho jogado no rosto, com um sorrisão de boca aberta rindo pra cima, olhos fechados e fazendo uma pose espontaneamente forjada de quem tá curtindo muito a feixta cheia de brasilidades. As outras duas fotos que sobraram são de um disco de vinil do Caetano Veloso (que ela carinhosamente chama de Cae), e outra dela segurando a barra do vestidão da Farm de quinhentos reais super hippies – a pose ~espontânea~, o sorrisão e o cabelo bagunçado se repetem. E continuando a falar das roupas, se você perguntar pra ela por que ela não usa sutiã, corre o risco de receber um “que isso? É francês?” de resposta. Se você tá na dúvida se conhece uma miga assim ou não, é só ver quem tá confirmado no evento de uma dessas festas cheias de BRASILIDADES tipo Calefação Tropicaos, Patropí, show do Novos Baianos no Cine Joia, Samba na Luz, etc… Que fica todo mundo suado e apertado dançando ao som de marchinha de Carnaval da época em que seu pai conheceu sua mãe e achou que ela ficava muito bem de permanente no cabelo. Porque sim, ela ama festas cheias de brasilidades, mas no risca faca nunca foi né kirida. “Risca faca, que isso? É francês?” Importante: não confunda com a GOOD VIBES, que tem outra vibes, hein?

Me sinto no dever de começar esse texto explicando para os leigos que o conceito de gótica mudou drasticamente de uns anos pra cá. Gótica não é mais aquela miga que se veste igual ao Neo do Matrix debaixo de um sol de 40 graus, passa lápis preto no olho e não larga do seu fiel companheiro vinho quente na garrafa plástica. Se a gente pensar na gótica como um Pokémon, imaginem que depois de muito treino bebendo no cemitério e discutindo em tópico do Orkut se Nightwish era melhor que Evanescence, ela evoluiu até chegar próximo do que hoje chamamos de “gótica suave”. Uns anos depois, com algumas horinhas diárias de inspirações no Tumblr e uma melhor noção de senso estético, ela virou o que vemos aos montes no Instagram: A GÓTICA HYPE. Essa miga pode ser facilmente identificada pelos lukis do seu guarda roupa da Turma da Mônica, que conta com 900 camisetas iguais de bandas que ela só ouviu uma música, choker preta e algumas peças jeans com modelagem anos 90. Olhando rápido até parece que ela achou tudo por 10 conto num brechó, mas nois não nascemo ontem e já vimo uma Kardashian com um coturno igual o seu, viu, kirida. Fora o visual, você também pode identificá-la pelas fotos com cara de tédio ou desprezo ou “to prestes a bocejar” de sempre, poses com cigarro numas baladas que têm cara de bagaceira mas custam caro pra entrar, e legendas minimalistas e/ou engraçadinhas com referências de memes. Porque sim, ela acha o mundo muito chato e por isso agradece todos os dias por morar na Internet.

Fala sério: você segue ou em algum momento da vida já seguiu uma musa fitness. Todo mundo passa por aquela fase em que, depois de meses vivendo de lasanha da sadia, acorda e resolve virar uma pessoa saudável, seja porque estourou o botão de uma calça ou porque você sentiu uma pontada no coração depois de mandar uma porção de batata com bacon (calma, era só felicidade mesmo). A FITNESS é aquela miga que, depois de você não ouvir o despertador, sair sem tomar café, chegar no trabalho atrasada, almoçar churros, ficar com preguiça de ir pra academia e jantar cerveja, você chega em casa e vê que, enquanto você adiava a soneca no celular, ela acordou, fez um insta stories feliz (DE MANHÃ!!!!!), tomou o café da manhã do cara que monta o cenário da novela das 9 (o mesmo que cuida do café da RHYCA), fez 17 insta stories falando sobre como a vida é maravilhosa e gratidão e desapego e yoga e vitaminas e grãos e tudo, foi pra academia, gravou 45 insta stories treinando e mais uns 9999 até o final do dia, mas esses outros você não viu porque tava ocupada mandando mensagem pra sua amiga no whatsapp “miga tá td errado ca minha life”. LEMBROU, NÉ? Aí você fica na bad até ver uma foto dela de antes e depois e sua esperança voltar. E apesar do tanquinho te fazer pensar que ela almoça gelo e janta ar, outra coisa que a fitness adora postar é foto de comida. E você fica feliz quando lê numa daquelas legendas enormes dela que é importante comer de 3 em 3 horas, porque se você pudesse, comeria de 1 em 1 (minuto). Ela posta umas fotos de saladas tão bonitas que até fazem parecer que elas são boas. Aí vêm uns grão de sei lá o que, semente de foda-se, botar gengibre em tudo, batata doce, sopa de batata doce, pão de batata doce, sorvete de batata doce com frango, linhaça e gengibre, umas comida com cor errada tipo arroz preto e suco verde, CREPIOCA, QUE NOME MAIS FEIO, PRA MIM CHEGA. Aí você desiste, para de seguir a fulana, volta um tempo depois só pra stalkear e descobre num Insta Stories dela que crossfit é uma modalidade de treino e não uma seita ou um esquema de pirâmide como você pensava…

E AAAAAÍ?! AMARAM OU AMARAM?
Gente, eu ri demais com as descrições, também feitas pela Nath.
Muito talento, né?
Confiram o trabalho dela, vale muito a pena!
@nanaths

Sou uma mãe pra vocês, hein?! 😛
Beijos <3

Comente pelo Facebook
Deixe um comentário